tag literaria livros unicos livrosunicos

Livros Únicos | TAG Literária

Para voltar com corda total, agora que o ano começou de verdade, hoje eu respondo a tag literária Livros Únicos, que roubei roubei no instagram da @meperdinoslivros 🙈🙈

Como foi a leitura de vocês nesse Carnaval, gente? Por aqui fomos bem devagar porque passeamos bastante. Posso dizer que enchemos a cara um pouquinho e fomos nuns ‘blocos’ de bastante roquenrol também. Praia e cervejinha… Enfim, só alegrias.

Livros Únicos

📖 Um livro único que te deixou querendo mais

O Diário de Mr. Darcy, da Amanda Grange, que eu amei mais que brigadeiro e queria que ela reescrevesse desse jeito todos os livros da Jane Austen 😍 Já falei sobre ele várias vezes: é uma releitura do clássico Orgulho e Preconceito, mas pelos olhos do Darcy. Tão lindo! Quem gosta desses romances incorrigíveis (e ligeiramente problemáticos), toca aqui!

📖 Um livro único que conseguiu cumprir sua proposta

Aqui eu poderia colocar dezenas de livros mas escolhi O Segredos dos seus Olhos – Eduardo Sacheri, que eu escolhi para representar a Argentina no Projeto Lendo o Mundo. Esse livro é incrível, sensual, com aventuras, bem escrito, envolvente, uma trama muito bem narrada. Achei o filme um pouquinho pior que o livro, mas ainda assim é bem bonito. Vocês sabem que eu não curto muito trilogias e sagas porque acho que fica muito forçado, e acho que ficam esticando demais a coisa toda. Prefiro mil vezes livros únicos.

📖 Um livro único com personagens únicos

Vou ser super puxa saco aqui e escolher Shada – Douglas Adams e Gareth Roberts porque Doctor Who é meu fandom preferido e esse é o melhor livro sobre o tema que eu já li. Só vai na fé, que eu recomendo com força!

📖 Um livro único com cara de trilogia ou série

A Livraria 24h do Mr. Penumbra – Robin Sloan, porque ele tem o tipo de trama e de plot que dá muita chance para uma continuação. Aquele clima de aventura e suspense delicioso, personagens carismáticos que não tem como não amar.

📖 Um livro único que você leu super rápido

O Carteiro e O Poeta – António Skarmeta, que além de ser bem curtinho, apenas umas cento e poucas páginas, tem um desenvolvimento muito rápido, muito fácil de ler. Aquele sensualidade deliciosa dos livros latinos, uma romance apimentado, uma amizade linda. Além disso também participou do nosso Projeto Lendo o Mundo, porque Skarmeta é chileno.

📖 Um livro único de um de seus autores favoritos

It: A Coisa – Stephen King que é um dos meus livros preferidos da vida – além disso me abriu uma porta para o mundo do terror/horror que eu não conhecia, e para o Stephen King, que se tornou um dos meus autores preferidos. A vida melhora quando a gente decide ler gêneros diferenciados, é uma delícia! Não se esqueça: esse a gente está sorteando lá no insta! Corre lá pra participar AQUI!

📖 Um livro único que você recomenda a todos

O Oceano no Fim do Caminho – Neil Gaiman 💙 Eu amo tanto esse que nem sei dizer. Curtinho, envolvente, vai direto no coração da gente. O meu chega derreter numa poça. Entendo que o universo de Gaiman seja muito intenso, e que principalmente Sandman seja o que tem de mais vultoso, mas Oceano é o que eu acho que ficou mais bem feitinho, mais honesto.

📖 Um livro único que te fez chorar

As Vantagens de ser Invisível – Stephen Chbosky, e digo mais: chorei rios no filme também 😭 Eu sou uma chorona mesmo. Ainda mais em tramas com adolescentes desajustados. Sinto um pouco da minha vida sendo contada ali, me sinto muito representada.

📖 Um livro único fora da sua zona de conforto

A Guerra não tem Rosto de Mulher – Svetlana Alieksievitch, porque esse tipo de livro mais ‘documentário’ mais jornalístico está bem fora da minha zona de conforto, mas é dos livros únicos mais impactantes nesses últimos tempos. Muito necessário e doloroso.

Todos os livros que tem link é a resenha bacaninha que eu escrevi ou fiz em vídeo. Dá uma olhadinha e me digam se curtiram, se tem interesse de ler.

Responde essa tag também! Eu me divirto tanto com essas tags! Me marca nas suas tags literárias também. TÔ doida pra saber sua opinião.

comments

O Carteiro e O Poeta skarmeta

O Carteiro e O Poeta – Antonio Skarmeta | RESENHA

Escolhi O Carteiro e o Poeta para compor nosso Projeto Nobel, sendo Antonio Skarmeta do Chile. Esse livro virou um filme muito famoso e aclamado pela crítica, que infelizmente eu ainda não pude assistir. Eu comprei esse livro num sebo, sem pretensão nenhuma e ser saber sobre o que se tratava. Muito tempo depois, organizando minha estante eu dei de cara com ele e decidi ler.

Mario Jimenez era o típico preguiçoso, que não queria seguir a profissão de pescador de seu pai. Como tinha uma bicicleta e queria que o pai parasse de pressionar, ele aceitou o trabalho de carteiro – e a única casa pra entregar cartas era a do poeta Pablo Neruda, bem afastada na Isla Negra.

Impressionado por estar lidando com uma celebridade, Mario comprou um livro e pediu para nosso poeta autografar. Dessa feita nasce uma linda amizade, que mudaria pra sempre a vida de Mario, e por que não dizer que mudou a vida de Neruda também?

O Carteiro e O Poeta

Gente do céu, o livro é a coisinha mais linda do mundo! Tão sensível, sensual e carinhoso que eu nem sei dizer. A narrativa de Skarmeta é uma delícia, muito fluida e delicada e dá vontade de ler pra sempre. O relacionamento entre os dois é muito lindinho, eu chorei praticamente as 128 páginas.

Estou muito ansiosa para ver o filme, e rezando aos céus pra não me decepcionar.

A amizade entre dois homens tão heterogêneos é um tema muito pouco trabalhado. O que vemos são relações problemáticas entre homens ou romances complicados, ou aventuras com inimigos. É bem mais difícil nos depararmos com uma história sobre a amizade masculina, sobre admiração e apoio. Mario representa a nós todos quando olha e se sente inspirado por don Pablo, quando se sente emocionado com sua grandiosidade e ao mesmo tempo simplicidade.

E toda a vida do nosso carteiro, assim como de sua família é impactada pela presença do poeta. As cenas de romance entre Mario e sua amada são muito bem escritas, com irreverência e uma sensualidade real que só é possível na literatura latina. Delícia de ler.

Enfim, eu virei fã. Amei o livro e a história, recomendo muito. Muito emocionante, muito delicado e sensível. Fazia um tempão que não li algo assim. Recomendo muito.

Título: O Carteiro e O Poeta
Autor: Antonio Skarmeta
Ano: 1985
Páginas: 126 páginas
Editora: BestBolso

Nota

5 estrelasO Carteiro e O Poeta skarmeta

Onde Comprar

Já ouviu falar dessa história, seja em livro ou filme? Curte literatura latino-americana? Conta pra mim sua opinião. Isso é muito importante pra mim.projeto lendo o mundo O Carteiro e O Poeta

Não se esqueça de participar do sorteio bacanudo do livro It: A Coisa, do Stephen King, publicado pela Editora Suma. Dá pra participar até dia 05/03 e está muito fácil de levar!

Beijo <3 Até a próxima.

 

a fogueira krysten ritter bad rain blog

A Fogueira – Krysten Ritter | RESENHA

Quando fiquei sabendo, através do canal da Ju Cirqueira, que A Fogueira – publicado pela editora Fábrica 321 (um selo da Rocco) – era escrito pela Krysten Ritter, que é a Jessica Jones do seriado da Netflix, eu fiquei com muita vontade de ler. Primeiro porque eu acho o posicionamento dela acerca de protagonistas femininas é muito parecido com o que eu penso – já falo mais sobre isso. Segundo porque eu curto muito os papéis junkies que ela faz na TV e achava que seria bom ter uma protagonista que não fosse impecável.

E é exatamente isso que nossa personagem principal Abby Williams nos mostra. Uma anti-heroína. Totalmente junkie. Beberrona, despreocupada com a aparência, sempre de ressaca, dormindo com quem quer na hora que quer, sem aquele apego em ser perfeitinha e intocável. Quando era criança, Abby era a melhor amiga de Kaycee Mitchell. Mas elas se tornaram muito diferentes, Kaycee se tornou a cheerleader bonitona e super popular e Abby a esquisitona que sofria bullying.

A Fogueira

Ao terminar o colegial, Abby se muda pra Chicago pra ter uma vida nova e Kaycee foge de casa e desaparece, depois de um escândalo no colégio sobre uma doença estranha. 10 anos depois, ainda perturbada pelo desaparecimento da ex-amiga, e assombrada pelo seu passado difícil com seu pai – um fanático religioso -, Abby volta ao Barrens, a cidadezinha onde cresceu, formada em Direito para investigar a maior empresa do lugar, que supostamente estaria contaminando a água da região.

Abby sofre de transtorno de ansiedade, que evolui para um transtorno obsessivo-compulsivo não muito preocupante, e não sabe lidar muito bem com a pressão de estar revendo todos os lugares da sua infância, com seu pai doente, com os crushes juvenis, e com o fato de todos na cidade serem fãs de carteirinha da Optimal Plastics – a empresa que salvou a cidade. E acaba misturando seu passado com a vontade de encontrar Kaycee e resolver o caso sobre seu desaparecimento, com o desejo de salvar todas as garotas mais novas de passarem o que ela passou, com a necessidade de encontrar algum culpado, e alguma redenção pra si mesma com doses consideráveis de álcool e sexo casual.

O céu está naquela fase intermediária, o dia e a noite lançando um tumulto confuso de azuis, rosa e laranja com a trilha sonora do canto dos grilos. A esta hora, Barrens fica linda: os campos são envoltos em neblina. É assim que a beleza funciona em Barrens: ela desliza até você quando menos espera.

Krysten Ritter

Como eu disse anteriormente, eu gostei bastante da trama. O plot fica muito interessante, e inesperado. Chega até a dar um friozinho na barriga com a tensão do meio pro final. A Krysten tem um jeito bem gostoso de escrever, bem poético e profundo, muitas vezes com desprezo e aquele ‘whatever’ que é bem típico das duas personagens mais icônicas que ela própria desenvolve na TV – tanto em Jessica Jones quanto em Breaking Bad.

Porém, eu não achei bem escrito. O desenvolvimento da trama é meio forçado, a solução da conspiração é totalmente delirante e os fatos e os desenrolos não são factíveis no nível em que foram explorados. Eu gostaria de ver mais vida real na história da Abby, gostaria que ela fosse mais independente tanto emocionalmente quanto socialmente.

Para uma autora que tem uma produtora a fim de promover protagonistas femininas fortes, ter sempre um homem pra defender ou validar os comportamentos da Abby é bem contraditório e eu me senti meio traída – especialmente no final. Entendo que Abby tenha sido abusada e humilhada pelas garotas da escola e de seu grupo, mas todos os personagens que rodeiam a vida de Abby adulta são homens, e ela busca sua aprovação e consentimento e ajuda o tempo todo. Isso é meio irritante, principalmente quando a gente espera uma mulher chutadora de bundas.

Pode ser que o problema seja meu, e eu não tenha sabido como gerenciar minhas expectativas. Pode ser que eu tivesse esperando uma Jessica Jones nas páginas de A Fogueira. O fato é que não gostei muito. Achei previsível e não muito factível, achei que ela mirou num alvo promissor mas não conseguiu entregar. Além disso, achei o tema meio requentado.

Título: A Fogueira
Autor: Krysten Ritter
Ano: 2017
Páginas: 288 páginas
Editora: Fábrica 321
Meta: 8/70

Nota3_estrelas_badrain a fogueira krysten ritter

Onde Comprar

Já ouviu falar desse livro? Curte Jessica Jones? Conta pra mim sua opinião. Isso é muito importante pra mim.

Não se esqueça de participar do sorteio bacanudo do livro It: A Coisa, do Stephen King, publicado pela Editora Suma. Dá pra participar até dia 05/03 e está muito fácil de levar!

Beijo <3 Até a próxima.

 

Conclusão da #JornadaMLV | Maratona Literária de Verão 2018

Hoje nós estamos aqui para conversar sobre a conclusão da #JornadaMLV – essa Maratona Literária de Verão desse 2018 que chegou e acabou voando! Eu tinha me proposto a ler 6 livros para o desafio do Reino Arcania, e mais 6 livros para os desafios do Reino Galtero, porque sou muito olho grande. Vocês podem saber mais sobre nossa TBR nesse vídeo.

Eu estaria viajando a trabalho, fazendo curso e achei que seria tranquilo ler todos esses livros. Achei que não ia flopar, FLOPEI. HAUHAUAH Mentira gente. Não foi exatamente um flop. Eu li os livros que me propus para o Reino de Arcania porém não consegui ler os de Galtero. Mas não faz mal, eu continuarei lendo os que contei pra vocês na TBR.

Conclusão da #JornadaMLV

Para vocês verem como foi essa maratona, e o que eu achei dos livros que combinamos, clica no play pra ver essa conclusão da #JornadaMLV desse ano. Só tem eu porque o Parzi só leu 2 livros e ficou sem graça de participar do vídeo. AHAHAH

Os desafios do Reino Arcania são:

  • Ler um livro que era pra você ter lido em 2017
  • Ler um livro com um hype antigo (que já fez sucesso há um tempo)
  • Ler um livro nacional da atualidade (que foi publicado nos últimos 5 anos)
  • Ler um livro de um autor que você nunca leu antes
  • Ler um livro com uma protagonista feminina
  • Ler um conto

E vocês, participaram dessa #JornadaMLV? Curtiram participar? Gostaram das nossas leituras? Espero que simk. Contem pra nós sua opinião, isso é a coisa mais importante pra nós.

Beijos <3 Até a próxima! <3

altered carbon netflix bad rain

Altered Carbon: O que define quem você é? | Primeiras impressões | REVIEW

Assistimos os 2 primeiros episódios da nova série ficção científica original da Netflix – Altered Carbon – e viemos contar nossas primeiras impressões.

“O seu corpo não é quem você é. Você o muda como uma cobra muda de pele. Transferimos a consciência humana entre corpos para viver uma vida eterna.”

Partindo deste ponto, Altered Carbon nos promete trazer discussões interessantes sobre a existência, a individualidade e a identidade. Tudo isso em um cenário futurista com pitadas de ação, tiros e alguns socos na cara.

Começamos a série o reencapamento de Takeshi Kovacs, que acorda 250 anos depois de sua morte na prisão de Alcatraz e… Perai perai. Reencapaoque?

É, vou explicar. No futuro em que a série se passa, os corpos humanos são tratados como capas. Uma tecnologia permite que suas lembranças sejam completamente armazenadas em um cartucho memória, que é um dispositivo implantado na nuca das pessoas. Quando alguém morre, suas memórias ficam retidas neste cartucho e podem receber uma nova capa (como são chamados os corpos) e a pessoa voltar a vida. Uma vez este dispositivo destruído, suas memórias são perdidas a pessoa morre para sempre.

Kovacs é um destes reencapados. Conhecido por ser um terrorista e um excelente soldado, ele se vê agora com a oportunidade de viver novamente, mas para isso tem que ajudar uma das pessoas mais ricas e poderosas desta nova sociedade a resolver um crime. Os termos para essa nova vida são simples: Se ele se recusar, desistir ou falhar na missão ele volta para o “gelo”.

Altered Carbon

A história tem aspectos interessantes principalmente quando nos mostra retalhos desta nova sociedade que encontrou uma fuga para a morte. É possível observar como este novo recurso funciona de maneiras diferentes para ricos e pobres e até mesmo a relação da imortalidade com a fé.

Mas você vai conhecendo mais dessa nova realidade bem aos poucos . Altered Carbon é uma daquelas narrativas que vai te mostrando o todo de maneira gradual. De pouquinho em pouquinho vai explorando toda a complexidade deste novo mundo. O visual da série é muito bem construído e consegue criar um conceito futurista mas plausível na maioria do tempo.

Nos capítulos iniciais ainda não temos nenhum destaque nas atuações. O protagonista Joel Kinnaman (Robocop, House of Cards, Esquadrão Suicida) parece ser o famoso caso de “Não atrapalha mas também não ajuda”. Falta carisma, o que dificulta a empatia com o personagem principal. O ator que interpreta Takeshi Kovacs em sua “capa” original parece se sair melhor neste ponto.

A série tem um enredo muito promissor, mas que pode esbarrar na complexidade de sua própria trama. Isso pode prejudicar o ritmo da história. De qualquer forma vale a pena encarar esta viagem direto para 2384.

E você, já assistiu? Já leu o livro? Tá gostando, ou tem interesse de ver?

Conta pra gente a sua opinião, isso é muito importante pra nós!

Até mais! <3