A Elegância do Ouriço – Muriel Barbery #resenha

Título: A Elegância do Ouriço
Autor: Muriel Barbery
Ano da edição: 2008
Ano de publicação: 2006
Páginas: 352 páginas
Editora: Companhia das Letras

“Sou viúva, baixinha, feia, gordinha, tenho calos nos pés e, em certas manhãs autoincômodas, um hálito de mamute. Não estudei, sempre fui pobre, discreta e insignificante. Vivo sozinha com meu gato, um bichano gordo e preguiçoso, cuja única particularidade digna de nota é ficar com as patas fedendo quando é contrariado.”

Renee é a rabugenta concierge de um prédio de gente rica em Paris. Com muita leitura, muita consumação ‘ilegal’ de livros e filmes e arte, sua sagacidade fortemente escondida sob uma cobertura de estupidez é o que a mantém segura e despercebida no mundo burguês de gente esnobe.

Nesse mesmo prédio mora Paloma, a filha mais nova de uma família rica, super dotada pra seus poucos 11 anos, questionadora é muito inteligente, que por não encontrar sentido na vida tão rica é tão vazia, nem amor no seu seio familiar, planeja se matar e incendiar o apartamento no dia de seu aniversário.

A vida dessas pessoas e dos outros moradores do prédio se abala e se modifica de maneira permanente com a chegada do novo inquilino, o Sr. Ozu – de uma cultura diferente, com pretensões diferentes, que não quer se adequar aos padrões comportamentais já estabelecidos no local. E essa chegada muda pra sempre a vida de Paloma e de Renee.

“Fazia muito tempo que me acostumara com a perspectiva de uma vida solitária. Ser pobre, feia e além do mais inteligente condena, em nossas sociedades, a percursos sombrios e sem ilusões, aos quais é melhor se habituar cedo. A beleza se perdoa tudo, até mesmo a vulgaridade.”

A Elegância do Ouriço

 

Lindo!! Muito linda a história! Super reflexivo, de uma escrita bonita e fluida. A equipe de tradução e revisão precisa ser aplaudida de pé porque o resultado foi uma linguagem deliciosa, leve, engraçada. Morri de rir com a rabugice de Renee – que poderia muito bem se chamar Shepps. Hahahah

A única coisa que eu achei fraca é a rendição de Renee ao novo mundo – tentando falar o mínimo pra não dar spoiler hahahaha – e obviamente, eu DETESTEI o final. Os dois ou três últimos capítulos que tiraram a 5ª estrela da minha avaliação.

Mas eu recomendo muitíssimo. O humor de Muriel é uma delícia. Um pouquinho diferente de toda aquela forçação de barra americana que estamos acostumados, é algo mais suave, mais implícito, sutil. A crítica social embutida é leve e divertida demais.

Esse livro foi escolhido pelo meu Clube de Leitura – como um dos livros mencionados por Jean Perdu no A Livraria Mágica de Paris. E também entrou no nosso #projetolendoomundo representando a França com a Rachel Joyce.

“O problema é que os filhos acreditam nos discursos dos adultos e, ao se tornar adultos, vingam-se enganando os próprios filhos. “A vida tem um sentido que os adultos conhecem” é uma mentira universal em que todo mundo é obrigado a acreditar. Quando, na idade adulta, compreende-se que é mentira, é tarde demais. O mistério permanece intacto, mas toda a energia disponível foi gasta há tempos em atividades estúpidas.”

 

Nota

Onde Comprar

Amazon – R$ 34,90
Submarino – R$ 42,32
Americanas – R$ 42,32
Extra – R$ 46,60
Livraria Cultura – R$ 46,60

Vocês já leram? Gostaram?

Não deixe de escrever sua opinião ou crítica aqui pra mim! Eu tô ansiosa pra saber o que vocês estão achando, e o que mais vocês querem ver por aqui.

Beijo<3 Até a próxima!

 

comments