A Vista de Castle Rock – Alice Munro #resenha

Título: A Vista de Castle Rock
Autor: Alice Munro
Ano: 2006
Páginas: 352 páginas
Editora: Biblioteca Azul

“Não resistimos a revolver deste modo o passado e peneiramos fatos indignos de crédito, juntamos nomes dispersos a datas e historietas dúbias, agarramo-nos a fios, insistindo em unirmo-nos aos mortos e, como tal, à vida.”

Alice se envolveu em uma pesquisa intensa em sua história familiar, suas origens, seus ascendentes e como sua família abandou a Escócia a fim de reconstruir a vida no Canadá. Como a autora mesmo diz, são contos, são partes de sua pesquisa, de suas memórias e outra parte proporcional de ficção, que ela usa a fim de preencher as lacunas, de ir onde a história não conseguiu chegar.

Eu escolhi esse livro porque Alice Munro ganhou o Nobel de Literatura, e, sendo mulher, isso é um grande feito. Eu morria de curiosidade de ler algo dela, mas comprei A Vista de Castle Rock sem fazer a mínima ideia sobre o que se tratava.

A Vista de Castle Rock

A escrita dela é sublime, incrível. Realmente ela trabalha as palavras de maneira primorosa, parece uma nuvem fofinha de tão confortável – se é vocês me entendem. E embora eu não tivesse curtido muito a trama – já explico o motivo -, entrou na minha pele. Dias depois eu ter terminado, eu fiquei com as vidas dos personagens enroscadas na minha cabeça, nos meus pensamentos.

Eu digo que não curti pelo seguinte: como foi algo mais de pesquisa, de documentário, não tem um plot twist, não tem desfecho, não tem algo pelo qual você segue ansiando. Eu demorei muito tempo pra ler, ficava procrastinando e lia o mesmo parágrafo várias vezes por não conseguir me prender na narrativa. Compreendo que a culpa não é de Alice, é minha por não ter lido a sinopse do livro e por não ter pesquisado antes de escolher.

A diagramação do livro é linda, impecável. A tradução é ótima, não perde nada dos meandros que Alice coloca nas entrelinhas do texto. Muito bonito, muito delicado.

Eu vou dar mais uma chance para Alice Munro, com certeza. Em breve eu escolherei outro título para ler e quem sabe me apaixonar. Esse, eu não consegui amar, mas sou obrigada a reconhecer que ela é incrível, de verdade. Sigo recomendando.

Nota

Esse livro eu escolhi pra ler na MLI 2017, lá atrás e desde que voltamos com o blog, a resenha dele estava escritinha, pronta pra entrar mas eu tinha me esquecido totalmente de clicar no botão de publicar HAHAHAHAH coisas de uma mente ansiosa! Mas antes esquecer de publicar um post que deixar o gás ligado, não é mesmo? 

Espero que vocês tenham gostado! Se você já leu, me conta o que achou. Se não leu, tem interesse em ler? Não se esqueça: sua opinião é muito muito importante pra nós.

comments

Conta pra mim o que você achou: