O Oceano no Fim do Caminho – Neil Gaiman #resenha

Faz tempo que não tem resenha por aqui, né? E isso é uma coisa que eu tô devendo pra vocês, eu sei. Eu fico meio acanhada de resenhar as coisas por aqui e: ou soltar spoilers, ou soltar opiniões demais, e os donos da internet disseram que não pode. Mas, estou numa fase meio: ‘vou fazer o que eu quiser‘, e vai ter resenha, sim, senhor!

Título: O Oceano no Fim do Caminho
Autor: Neil Gaiman
Ano da edição: 2013
Ano de publicação: 2013
Páginas: 208
Editora: Intrínseca

Eu me lembro perfeitamente da minha infância… Eu sabia de coisas terríveis. Mas tinha consciência de que não deveria deixar que os adultos descobrissem que eu sabia. Eles ficariam horrorizados.

– Maurice Sendak, para Art Spiegelman

O Oceano no Fim do Caminho

 

Ao precisar comparecer a um funeral em sua antiga vizinhança, o narrador vai dar uma caminhada para espairecer e acaba terminando na fazenda Hempstock, 40 anos depois de onde viu sua única amiga de infância, Lettie Hempstock, pela última vez. Ao ver a mãe de sua amiga, sentado no banquinho verde de frente para o lago que havia nos fundos da propriedade, o mesmo lago que Lettie o convencera que era um oceano, as lembranças voltam como uma enxurrada, como se estivessem lacradas no fundo de sua mente.

O Oceano no Fim do Caminho

As memórias de infância às vezes são encobertas e obscurecidas pelo que vem depois, como brinquedos antigos esquecidos no fundo do armário abarrotado de um adulto, mas nunca se perdem por completo.

Quando ele tinha 7 anos de idade, era introspectivo e sozinho, sempre com a cara enfiada num livro quem nunca?. Sua família estava passando por dificuldades financeiras e alugou um quartinho na casa deles pra um desconhecido minerador que por acaso tinha atropelado o gatinho dele: o que já garantiu meu ódio eterno. Só que esse homem se suicida no carro da família, o que dá início a uma série de eventos mágicos na região.

Fui para outro lugar em minha cabeça, para dentro de um livro. Era para onde eu ia sempre que a vida real ficava muito difícil ou muito inflexível.

Lettie ajuda sua avó e sua mãe a investigar a magia, mas o nosso narrador se contamina com ela, e se torna a porta de entrada para uma deusa malvada chamada Ursula, que se faz de governanta para atormentar a vida do ‘hospedeiro’. Só que as mulheres Hempstock juraram protege-lo, então uma batalha se inicia.

Quanto disso é verdade? Por que ele não se lembrara de nada daquilo até começar a fitar o oceano particular da sardenta Lettie Hempstock? Onde ela está? Por que nunca havia procurado por ele antes?

Nada nunca é igual […] Seja um segundo mais tarde ou cem anos depois. Tudo está sempre se agitando e se revolvendo. E as pessoas mudam tanto quanto os oceanos.

O Oceano no Fim do Caminho

Neil Gaiman

Esse livro é com certeza um dos mais lindos que eu me lembro de ter lido, e foi quando eu percebi como o Gaiman consegue ser versátil e diferenciado. Ao terminar de ler, foi como se eu tivesse sido atingida por um raio o raio da reviravolta incrível do final da história, fiquei abraçada com o livro, pensando nas mulheres Hempstock, em posição fetal por uma meia hora, e imediatamente recomecei a ler.

Depois que você entende o final, você fica maluco pra ler de novo e sorver os detalhes que deixou passar, até a última gota.

O Oceano no Fim do Caminho

A minha edição é a da Editora Intrínseca, que tem publicado lindíssimas edições dos livros do Gaiman, o papel do miolo é aquele amareladinho (pólen soft pra quem manja dos paranauês) – meu papel preferido pra interiores porque ele não reflete muito a luz, e não cansa a vista tô meio paranoica com esses aspectos depois que comecei a ler na maravilha que é o kindle com luz interna.

Mas dentre tantos livros do Gaiman, por que esse amor todo por esse, Shepps? Primeiro: o que é essa arte de capa? Que capa maravilhosa! Eu fiquei muito atraída por essa história por causa dessa mocinha mergulhada tão placidamente nessa água. Depois que você entende a capa, dá um estalo dentro da sua cabeça e você fica lá, olhando contemplativamente pra garota.

Segundo: todo mundo sabe que eu sou muito do Gaiman, mas tem duas obras (além de Sandman, claro) que me mantém refém: O Oceano no Fim do Caminho e Os Filhos de Anansi. Tudo o que ele escreve é sensacional? Sim, até mesmo a releitura de João e Maria, que eu achei super fraca. Mas essas duas tramas são enlouquecedoramente intensas e maravilhosas. Esse universo que ele criou para ambientar essas histórias deixa a gente de queixo caído. É difícil de explicar, mas foram os dois romances dele que ficaram mais perto do coração.

Nota

Eu recomendo com força!

5-estrelas

Certamente recebeu de mim TODAS as 5 estrelas (e se tivesse 10 estrelas, recebê-las-ia todas também), embora esteja com 4,2 estrelas das 5 possíveis tanto no Skoob quanto na Amazon.

 

Neil Gaiman

Onde Comprar

Mas onde tem pra comprar? Quanto é? Lógico que a tia Shepps aqui ia deixar tudo mastigadinho pra vocês, né? Quando foi que eu deixei vocês na mão?

Se vocês já leram, não deixem de me contar o que acharam! Se conhecem algum livro similar, me recomendem, que tô louca pra ler mais fantasias assim!

Beijo <3

comments

Comentários

  1. Que resenha perfeita *-*
    Eu peguei este livro ontem mesmo para ler, mas confesso que ainda estava na dúvida se continuava a leitura ou não… depois dessa sua resenha eu com certeza continuarei <3
    Espero amar este livro tanto quanto você, o que será fácil, porque me parece um daqueles livros que te traz algo bom, algo pra você levar consigo em sua vida, não?
    E eu amei essa edição também, eles capricharam na capa ^^
    Ah, e eu já postei a tag em que te marquei, não sei se você viu, mas da uma visitada lá.
    Bjinss
    http://wwwleituraromantica.blogspot.com.br/

    1. Oi, Bruna.
      Nossa, continua sim! É uma delícia. Maravilhoso mesmo.
      A escrita do Gaiman é perfeita, a trama é um doce. Não tem como não se apaixonar.

      Não esquece de me contar o que você achou!
      <3

      Eu vi a TAG, e até já respondi, mas só vai ao ar na quinta!
      Muito obrigada por me convidar!