A Improvável Jornada de Harold Fry – Rachel Joyce #resenha

Título: A Improvável Jornada de Harold Fry
Autor: Rachel Joyce
Ano da edição: 2013
Ano de publicação: 2012
Páginas: 248 páginas
Editora: Suma de Letras

“O mundo era composto de pessoas colocando um pé na frente do outro; e uma vida poderia parecer trivial simplesmente porque a pessoa que a vivia vinha fazendo isso há muito tempo.”

Vamos conversar sobre esse livro incrível da Rachel Joyce – A Improvável Jornada de Harold Fry?

Essa é a primeira resenha aqui no canal, e eu espero que vocês tenham gostado. Não se esqueçam de se inscrever no canal e dar joinha pra eu continuar fazendo esses vídeos pra vocês. Me conta o que vocês acharam do livro e do vídeo.

Então dá o play e vem comigo!

A Improvável Jornada de Harold Fry

Nota

Onde Comprar

Amazon – R$ 22,00
Submarino – R$ 26,32
Americanas – R$ 26,32
Saraiva – R$ 23,56
Extra – R$ 34,90
Livraria Cultura – R$ 22,00

Vocês já leram? Gostaram?
Curtiram resenha em vídeo?

 

comments

Desafio Cinéfilo – 17 Filmes em 1 Mês

Oi gente!

Aqui nessa casinha nerd estamos todos em ritmo, ritmo de festa porque eu consegui férias! UHU 35 lindos dias de cerveja gelada, café expresso, livros cheirosos e uma quantidade preocupante de ócio remunerado, porque eu tô merecendo, viu? Com a quantidade de trabalho e viagens e estudo, minha vida estava se resumindo a: ler na kombi duas vezes por dia, escrever os posts pra vocês pela celular enquanto espero o bus do trabalho, tomar meio litro de café requentado entre uma reunião e outra.

Mas, como não tem nenhum principiante aqui, para que essas férias fiquem desafiadoras e pra que o ócio não deixe a gente molenga, nós inventamos moda: para andar com a nossa lista de filmes (que está MEGA atrasada) nós vamos tentar um desafio – 17 filmes em 35 dias.

Será que dá?

Como vai funcionar isso? Nós já temos um roteiro de filmes que segue a lista dos 250 melhores filmes do imdb. Além disso, nós brincamos de pegar a watchlist do outro (no imdb ou no netflix ou no telecine play) e escolher um dentre aqueles. Então, de todos esses sorteios, nós já tínhamos 5 filmes escolhidos. Para dar um pouco mais de tempero, eu pensei em 3 quesitos e Parzi pensou em mais 3 quesitos, e cada um escolheu mais 6 filmes respeitando esses quesitos. Como ficou nossa lista então:

Filmes Já Escolhidos

  1. Batman e O Cavaleiro das Trevas Ressurge
  2. Bastardos Inglórios
  3. Capitão Phillips
  4. Zodíaco
  5. Donnie Darko

Quesitos do Parzi

1) Um Filme Original Netflix

Shepps: Okja
Parzi: The Fundamentals of Caring

2) Um Remake

Shepps: Insônia
Parzi: Vanilla Sky

3) Um Filme que você já Viu no Cinema

Shepps: O Pequeno Príncipe
Parzi: Rogue One

Quesitos da Shepps

4) Um Filme Dirigido por Mulher

Shepps: O Estranho que nós Amamos (Sofia Coppola)
Parzi:

5) Um Filme Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro

Shepps: Tudo Sobre a Minha Mãe (2000)
Parzi: Amor (2013)

6) Uma Adaptação de um Livro Muito Famoso

Shepps: Bonequinha de Luxo (Truman Capote)
Parzi: Entrevista com o Vampiro (Anne Rice)

E não é só isso! Quem topar vir com a gente vai concorrer a dois cartões de R$ 30 do Netflix!!

Eu sortearei um e o Eric sorteia o outro! Tudo o que você precisa fazer é:

  • Se inscrever no canal
  • Curtir a página no facebook
  • Compartilhar esse post (mas só vale no modo público, ok?)
  • E preencher o formulário nos contando os filmes que você escolheu para cada quesito: FORMULÁRIO

comments

O Poder do Hábito – Charles Duhigg #resenha

Título: O Poder do Hábito
Autor: Charles Duhigg
Ano da edição: 2012
Ano de publicação: 2012
Páginas: 408 páginas
Editora: Objetiva

“Para modificar um hábito, você precisa decidir mudá-lo. Deve aceitar conscientemente a dura tarefa de identificar as deixas e recompensas que impulsionam as rotinas do hábito e encontrar alternativas. Você precisa saber que possui o controle e ser autoconsciente o bastante para usá-lo – e cada capítulo desse livro é dedicado a ilustrar um aspecto diferente de por que esse controle é real.”

Como mudar um hábito? Como substituir uma rotina nociva ou irritante por outra, mais saudável ou construtiva? É o que Charles Duhigg nos ensina nesse livro.

Esse livro já estava na lista há um tempão mas nunca achava uma brecha pra ele. E me deparei com indicações sobre ele em uns 5 workshops somente no começo desse mês, então achei que o destino estava fazendo um pouco de pressão HAHAHAHA e resolvi passá-lo na frente.

Charles vai nos guiando ao longo de pesquisas e estudos a respeito do funcionamento do nosso cérebro com relação a como um hábito se instala, e principalmente sobre como algumas pessoas conseguem mudar hábitos e outras não.

O Poder do Hábito

Se você tem um hábito ruim, ele está sempre ali à espreita, esperando as deixas e recompensas certas. Isso explica por que é tão difícil criar o hábito de fazer exercícios, por exemplo, ou de mudar nossa alimentação. Uma vez que adquirimos uma rotina de sentar no sofá em vez de sair para correr, ou de fazer um lanchinho sempre que passamos por uma caixa de donuts, esses padrões continuam para sempre dentro das nossas cabeças.

Embora nossa intenção seja aprender como substituir hábitos nocivos ou irritantes ou até mesmo compreendê-los para saber de onde vem, os capítulos do livro explicam muito didaticamente algumas manobras adotadas por governos, empresas, políticos e até mesmo hospitais.

Um dos capítulos mais interessantes é sobre como nasceu essa prática insistente que as indústrias adotaram acerca da segurança. Quem trabalha em chão de fábrica – como eu – sabe que a liderança é quase psicótica sobre segurança. E Charles desvenda o motivo: o foco em segurança é um hábito organizacional que leva ao aumento da produtividade e do lucro. Resumindo, os empresários focam maniacamente em segurança para que a consciência coletiva se una em prol do próprio empregado e isso leva direto pra um aumento da produtividade. E você aí achando que seu chefe estava preocupado com sua integridade física e emocional!

E como um resumão bem feito, no apêndice ele da uma das receitas de bolo mais facilmente usadas para você identificar a rotina que ativa o hábito que você quer substituir, modificar a recompensa associada ao hábito e isolar a deixa que o desencadeia. Mas eu já te adianto: dá trabalho, requer esforço mental constante e uma boa dose de força de vontade.

Consegui? Ainda não. Mas sigo firme nas tentativas.

Alguns hábitos têm o poder de iniciar uma reação em cadeia, mudando outros hábitos conforme eles avançam através de uma organização. Ou seja, alguns hábitos são mais importantes que outros na reformulação de empresas e vidas. Estes são os “hábitos angulares” e eles podem influenciar o modo como as pessoas trabalham, comem, se divertem, vivem, gastam e se comunicam. Os hábitos angulares dão início a um processo que, ao longo do tempo, transforma tudo.

Nota

Onde Comprar

Vocês já leram? Gostaram?
Curtem esse tipo de literatura também?

comments

Clube Skoob – Agosto/2017 #unboxing

Oi gente <3

O nosso unboxing misterioso de hoje é da caixinha linda demais do Skoob! <3

E vocês poderão conferir mais uma guerra por causa de balas de açúcar, um livro super colorido, uma pelúcia de porquinho e como isso tudo está conectado! <3

Aperta esse play e vem ver quanta coisa maneira veio nessa caixinha!

Clube Skoob

E aí, curtiram? Quais dos brindes vocês acharam mais bacana?

Vocês estão gostando desse novo formato do canal? Não deixe de dar sua opinião, que é muito importante pra nós!

Beijo <3

comments

O Retrato de Dorian Gray – Oscar Wilde #resenha

Título: O Retrato de Dorian Gray
Autor: Oscar Wilde
Ano da edição: 2012
Ano de publicação: 1890
Páginas: 413 páginas
Editora: Landmark

“Somos punidos pelas nossas recusas. Cada impulso que lutamos para estrangular remói em nossas mentes e nos envenena. O corpo peca uma vez e se contena com seu pecado, pois a ação é um modo de purificação. Nada permanece então além da lembrança do prazer ou da luxúria de um remorso. O único modo de se livrar da tentação é ceder a ela.””

Dorian Gray é um boyzinho metido, bonito e rico que se envolve com umas amizades meio manipuladoras e quer aproveitar o melhor da vida, curtir o mundo e seus prazeres, sem se preocupar com mais nada além do desfrute.

Ele acaba se apaixonando por seu próprio retrato e conforme o tempo passa, as pessoas envelhecem e ele não. Dorian só quer curtir, e vai tão longe quanto preciso para não ser questionado.

“[…] os estúpidos têm o melhor deste mundo. Podem sentar-se e bocejar durante a peça. Se não sabem nada da vitória, ao menos são poupados do conhecimento da derrota. Vivem como todos nós deveríamos viver, sem perturbações, indiferentes e sem inquietações. Nunca arruínam os outros nem a receber de mão alheia.”

Muito boa a história. É uma versão bem feita sobre o mito de Fausto, a perda da alma em troca dos prazeres da carne. Bem humorado, bem escrito – bastante machista mas super compreensível devido ao contexto.

Embora a linguagem seja formal, não fica difícil nem maçante – eu acabei não lendo essa edição da foto, li a edição com texto integral da Lippincott’s Monthly Magazine – e a equipe de tradução fez um belíssimo trabalho.

Esse livro foi escolhido pelo meu Clube de Leitura, e eu ainda não tinha lido nem esse nem nada do Oscar Wilde #shame E como acontece como todo clássico, a expectativa estava onde? No topo!

“Mas a beleza, a verdadeira beleza termina onde uma expressão intelectual começa. O intelecto é, em si mesmo, um exagero e destrói a harmonia de qualquer rosto. No exato momento em que alguém se senta para pensar, se torna um grande nariz, ou uma grande testa u algo mais horrível. Olhe para qualquer homem de sucesso em qualquer uma das profissões conhecidas. Com são perfeitamente repugnantes!”

Decepciona? Não mesmo. Mas é tuuuudo isso? Também não. Meu problema com Wilde nesse livro foram os loooongos capítulos descritivos com os devaneios de Dorian. Cansa muito.

Mas eu recomendo? Totalmente! Wilde tem um humor cáustico, uma língua ferina e como um bom dramaturgo, os cenários e ambientações são incríveis. Gostei bastante.

Nota

Onde comprar

Amazon – R$ 21,90

Saraiva – R$ 22,90

Submarino -R$ 23,17

Americanas -R$ 15,99

Extra – R$ 32,90

E vocês já leram? Gostaram? Tem interesse em ler?

Compras da Bienal do Livro – RJ 2017

Oi, gente! <3

Esse é o segundo vídeo da saga BIENAL DO LIVRO 2017 (se você não viu o primeiro, dá uma olhada AQUI). Hoje nós viemos mostrar um por um todos os livros que compramos nessa última Bienal Internacional do Livro de 2017. Do jeito que nossa mala veio, a gente abriu em frente às câmeras.

Unboxing

Tem livros, tem marcadores, tem sacola plástica, tem cobertor, tem brusinha fedida e suada HAHAHA tem um tanto de treco que a gente comprou, catou, furtou e por aí vai.

Lembrando que não pagamos mais que R$10 em nenhum exemplar!

Eu também dou muitas dicas para conseguir essas pechinchas e se dar bem.

Se você quiser mais dicas ainda para sobreviver numa Bienal, clica AQUI.

Você conseguiu ir esse ano? Se sim, me conta o que achou, o que comprou! Se não conseguiu, o que você gostaria que eu mostrasse no próximo evento?

Não deixe de se inscrever no canal, e ativar as notificações porque nos próximos dias a gente vai postar um SUPER sorteio com uma porção de livros, hq’s e action figures.

It: A Coisa #critica

Baseado na obra de Stephen King, chega aos cinemas ‘It: A Coisa’.

Esta é a segunda adaptação do livro – a primeira foi um filme para a TV, lançado no início da década 90 que se tornou um clássico do terror. Por isso, surgiram alguns questionamentos: It nem é tão velho assim e fez certo sucesso na época de lançamento, precisa mesmo de remake?

Depois de assistir as duas versões posso responder: SIM. Por ser um filme pra TV, a versão de 1990 tinha algumas limitações de orçamento, e apesar de ser muito bom, deixava a sensação de que faltava algo. Esta nova versão contém tudo que “faltava” à primeira.

As mil formas diferentes em que Pennywise, o Palhaço Dançarino, se materializa é uma das coisas mais interessantes desta versão. Afinal, nossos medos não são os mesmos, porque nosso inimigo seria?

Do mesmo jeito que a trama vai se desenvolvendo durante as duas horas do longa, a caçada ao palhaço vai aproximando as pontas soltas da história de forma muito envolvente. Cada vez fechando mais a história em torno dos sete amigos do Clube dos Otários – clube este formado por crianças que atuam de maneira incrível!

As atuações são tão boas e os personagens tão carismáticos que não tem como não se sentir conectado a eles de alguma forma. O background de cada um deles é lentamente apresentado, fazendo com que você vá “criando uma amizade” com eles ao longo do filme. Essa conexão nos causa uma preocupação com o destino de cada um deles e colabora para o clima de tensão, que é quase constante.

Quaaase constante porque algumas sequências mesclam alívios cômicos que te fazem retomar o fôlego antes de mais uma enxurrada de terror. E a fotografia acompanha estas mudanças: há cenas escuras e pesadas que são seguidas por cenas iluminadas e cheias de cor.

Apesar de não ser fã do gênero e não sentir tanta tensão em um filme que leva a história mais para o lado sobrenatural é impossível assisti-lo sem que te cause algum incômodo. Algumas das alucinações causadas pela Coisa podem não te assustar, mas certamente vão te gerar uma vontade de se afastar daquilo o mais rápido possível! A experiência de ver no cinema aumenta mais ainda esta sensação.

Na sessão que fomos era possível ouvir os gritos de susto e tensão, ver pessoas sentadas abraçando as pernas, xingamentos após alguns sustos e pelo menos um longo suspiro de quem retoma o fôlego, dos mais discretos. Sem dúvidas o filme merece todo o hype gerado e também o retorno nas bilheterias, já que já é o filme de terror mais bem sucedido de todos os tempos!

P.S. A Shepps, que tem medo de palhaço, está perturbada até hoje e quase quebrou meus dedos das mãos umas 22 vezes. Mas passamos bem.

Já assistiram? Gostaram do remake?

Vocês estão curtindo esse tipo de post por aqui?

Beijo <3

comments

Gazeta de Midgard #4

Oi, gente!

E essa sexta feira quente e deliciosa, como vai? Estão preparados para mais um vídeo com as notícias mais fresquinhas do mundo nerd-geek-pop-unicórnio dessa semana?

Gazeta de Midgard

Nessa semana, muitos lanternas, morcegos, tartarugas e gatos falantes

 

Entao, coloca o fone, prepara esse play e vem com a gente!

Participe do sorteio! http://bit.ly/2fEfkks

Trailer de Justiceiro: https://www.youtube.com/watch?v=6m3Dv…

Trailer de Tomb Raider : http://bit.ly/2fECnvD

Qual das notícias você gostou mais? O que mais você gostaria de ver por aqui? Conta pra gente para que a gente faça esse blog cada vez melhor pra você!

Beijo! <3

comments

O Senhor dos Anéis – J. R. R. Tolkien #resenha

Título: O Senhor dos Anéis
Autor: J. R. R. Tolkien
Ano da edição: 1954
Ano de publicação: 2001
Páginas: 1227 páginas
Editora: Martins Fontes

Muitos dos que vivem merecem a morte. E alguns dos que morrem merecem a vida. Podes dar-lha? Então não te mostres tão empenhado em distribuir a morte como julgamento. Pois nem os mais sábios conseguem ver todos os fins.”

O Senhor dos Anéis

Na verdade eu só vim aqui mesmo pra contar pra vocês o motivo de estar sem postar resenha desde agosto. Estava relendo esse calhamaço delicioso que é #OSDA

Porque eu sou completamente incapaz e ineficiente na missão que é escrever uma resenha a altura dessa obra – que é meu livro preferido, meus filmes preferidos e pra esse autor que eu pago um pau eterno.

Bem, todas as outras vezes que tinha lido, tinha sido nas edições usuais – divididas nos três livros. Dessa vez eu fui me aventurar pela edição única, e dividi entre ler o livro de verdade (essa edição maravilhosa da Martins Fontes, que eu queria colocar num domo de vidro e exibir como peça de decoração) e ler no kindle, para ganhar mobilidade.

E essa edição única é bastante desafiadora por ser tão pesada e pelo progresso ser tão lento.

Essa é a única critica que eu consegui achar dentro da minha cabeça pra tentar ser imparcial. Hahahaha Porque GENTE QUE LIVRO FODA!! Perfeição.

Os personagens são foda (não são tão caricatos quando no filme e todos tem muito valor pra história), as descrições são foda, o universo que esse homem criou (!!!!!!) possibilitando praticamente tudo o que conhecemos de fantasia e RPG hoje é muito muito FODA!

Só lendo pra saber. LEIA! LEIA TOLKIEN! Mesmo que demore 3 semanas, como eu demorei. Mesmo que sua lista de Leitura atrase, mesmo que você já tenha decorado as falas dos filmes. E se você já leu, LEIA DE NOVO!

(Peço perdão pela foto meio pobrinha mas arrastei esse livro pra todos os lugares, e achei muito pertinente mostrar isso aqui também)

Nota

O que vocês acharam? Já leram? Tem interesse de ler?