Manas

tete-a-tete:
é assim que eu te defino
eu sei que não somos irmãs
mas daqui eu te admiro
eu me compadeço das suas dores
me encanto com teus amores
teus olhos, e sorriso
teu cabelo eu quero afagar

vem cá, amiga
quero escutar
me fala teu dia, tuas noias
qualquer besteira impensada
a tarde numa mesa de bar
vamos dançar de madrugada
atrás de ti eu apenas sorrio
guerreira, irmã amada

eu sei muitas vezes sou ausente
sou péssima de lidar as vezes
mas nosso elo não quebra a corrente:
quanto respeito eu tenho por você
nossas dores se abraçam
e nossos abraços se apertam
amizade pro que der e vier
um laço verdadeiro
que eu só acharia em outra mulher

eu procuro todo dia
respeitar os teus limites
reconhecer meus privilégios
escutar a tua voz
eu peço perdão por meus vacilos
mas pelos dias eu procuro encontrar
um eu melhor
e te presentear
com qualquer coisa
de amizade
união, cumplicidade:
a verdadeira sororidade

Revolucionar-se

comments