Blogagem Coletiva: Filmes que Valem a Pena Ver de Novo

Esse tema me deu um bocado de trabalho, porque eu sou uma pessoa apegada. Eu leio livros que amo várias vezes por ano, leio HQ’s repetidas porque curto a história, e assisto filmes repetidos direto. É muito mais provável que, zapeando pela sky, eu escolha ver um filme que já vi do que um filme que ainda não vi, ainda mais porque as sinopses disponibilizadas pelas produtoras desanimam qualquer um (mas isso é tema pra outra hora).

O grupo do facebook Blogs que Interagem sugeriu três temas pro mês de março, e eu escolhi esse porque: Eu ouvi falar de lista!? Sim, lista! Amo lista! Então, eis uma ‘pequena’ listinha de filmes que eu já assisti mais de 5 vezes ou 10 ou 15, jamais saberemos HahaHa e que recomendo com força pra que vocês assistam pra ontem!

Obs.: Não estão em ordem de preferência. Apenas na ordem em que apareceram na minha cabeça editei mais de mil vezes a lista, lógico, senão não seria eu.

Filmes que Valem a Pena Ver de Novo

O Poderoso Chefão

O Poderoso Chefão

Falando em filme e livro que já li/vi milhares de vezes! Esse, pra mim, é o melhor filme da história dos filmes do mundo do universo. Hahahahaha. Sério. Além de ter a trilha sonora mais icônica, e o elenco mais chutador de bundas do cinema, Francis Ford Copolla traz pras telonas o livro incrível do Mario Puzo, em 1972, estrelando Marlon Brando, Robert Duvall e o delicioso Al Pacino quase adolescente, cheirando a leite ainda. É o 2º melhor filme no IMDb, com 9,2 estrelas das 10 possíveis, nomeado a 10 Oscars e ganhando 2: de Melhor Roteiro Adaptado e de Melhor Filme, e ganhou também um Grammy de Melhor Trilha Sonora.
Amo as frases de efeito, amo a voz do Don beija a mão do Don, amo Al Pacino – não tem um único filme que ele atue que não seja ARRASADOR, a narrativa do Mario Puzo, quando o Sonny ou a Apolonia morrem, eu choro até hoje nem vem reclamando de spoiler, porque o filme é de 72!. Enfim, certamente, é um dos filmes que mais merecem ser vistos de novo, e de novo, e mais uma vez.

O Senhor dos Anéis

O Senhor dos Anéis

E aqui, eu uso da minha licença poética pra indicar uma trilogia no lugar de apenas um filme, porque apenas NÃO DÁ pra assistir um filme só dessa franquia. Uma vez por mês eu tiro um dia sabático pra ver essa trilogia (versões estendidas, por favor). Pra quê isso? Você é louca? Provavelmente, sim. Mas essas 12h de Tolkien me fazem uma pessoa incrivelmente mais feliz.
É a história de Frodo Bolseiro saindo do Bolsão, e ajudado por seus amigos homens, hobbits, magos, elfos e anões a chegar até Mordor e destruir o Um Anel de Sauron, para que a Terra Média fique livre das maldades do necromante. Parece simples né? Mas vamos aos números? O primeiro filme, O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel, de 2001, foi nomeado a 11 Oscars, ganhou 4; tem 8,8 estrelas das 10 possíveis e é o 16º melhor filme no IMDb. O segundo filme, de 2002, O Senhor dos Anéis: As Duas Torres, foi nomeado a 6 Oscars e ganhou 2, recebendo 8,8 estrelas das 10 possíveis do IMDb e é o 11º melhor filme. E o terceiro filme, O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei, foi nomeado a 11 Oscars e ganhou apenas TODOS, tem 8,9 das 10 estrelas possíveis no IMDb e é o 9º melhor filme. Os três filmes foram dirigidos pelo inacreditável Peter Jackson palmas, auditório.
Estrelando Sir Ian McKellen, Orlando Bloom, Liv Tyler, Cate Blanchett e Hugo Weaving, acho que pode-se dizer que é COM TODA CERTEZA uma trilogia que a gente deve ver de novo! <3

Romeu e Julieta

Romeu e Julieta

Ai, só de tentar escrever alguma coisa sobre esse filme, fico com olhos úmidos não que eu seja chorona, imagina! Mas esse filme é um dos mais lindos, e mais repetidamente assistidos dessa casa! Esse é um remake da história conhecidíssima, pelas mãos do diretor e roteirista Craig Pierce, de 1996, estrelado por Claire Danes e Leonardo DiCaprio, com 6,8 estrelas das 10 possíveis pelo IMDb, nomeado (porém não ganhou por causa do azar do DiCaprio) ao Oscar pela Direção de Arte. Nessa versão, a ambientação é moderna, assim como o figurino, os armamentos e os hábitos, mas os diálogos que eu já decorei, mas não conta pra ninguém são os originais do texto de Shakespeare. A trilha sonora é de partir o coração em mil pedaços, e eu acho que certamente é a melhor adaptação dessa tragédia que eu já coloquei os olhos. Já assisti mais de 20 vezes, e eu continuo chorando e esperando outro final que não aquele só Deus pode me julgar.

V de Vingança

V de Vingança

Pode ser que eu seja mesmo uma pessoa viciada em quadrinhos, e filmes adaptados de quadrinhos, e filmes de heróis e anti-heróis. Não vou negar nem me defender. Apenas incluir mais um filme que assisto toda santa vez que está passando na tv a cabo. E além dessas vezes, bate uma nostalgia boa, e eu coloco pra assistir de novo ou leio a revista pela 8932763ª vez. E de fato, vale muito a pena.
V é um revolucionário, que em busca de vingança contra os figurões e tiranos de uma Inglaterra no futuro (se a gente olhar bem, nem é um futuro tão longe assim), usa a máscara de Guy Fawkes pra incitar uma rebelião e tentar explodir o Parlamento. É auxiliado por uma mocinha, Evey Hammond, orfã de país rebelados e assassinados pela ditadura inglesa. A fotografia do filme é maravilhosa, os efeitos são perfeitos. Dirigido por James McTaigue e com roteiro adaptado dos irmãos Wachowski (só podia ser), foi lançado em 2005, tem 8,2 das 10 estrelas possíveis e é o 146º melhor filme do IMDb, estrelando o fantástico Hugo Weaving e a Natalie Portman, que ficou careca pra esse filme e aparentemente, ficou ainda mais maravilhosa que com cabelo.

Por trás desta máscara não existe apenas carne. Existe uma idéia, e idéias, Sr. Creedy, são a prova de balas.

O Fantasma da Ópera

O Fantasma da Ópera

Nossa, que loucura, um filme musical de ópera no meio de quadrinhos! Não tô entendendo absolutamente nada, Shepps. Pois é, assim é a vida. Eu sou uma pessoa bem eclética a respeito de livros e filmes. Então, seria praticamente impossível uma lista de 9 filmes não sair uma salada louca de gêneros e épocas. Não desistam de mim, continuem aqui segurando a minha mão, que vai dar tudo certo no final.
Christine Daae é uma jovem  e promissora soprano que se torna a obsessão de um gênio musical mais ou menos desfigurado e aparentemente lindo, que vive no subsolo da Ópera de Paris. O Fantasma treina e motiva Christine, que se torna a primadona do teatro, mas ela reencontra seu amor de infância, atual dono da ópera, e rico Raoul de Chagny. Um triângulo amoroso lindo, triste, cheio de música, luta, choro, e intensidade que arrepia a nuca. Amo demais. Amo tanto que decorei as falas. A trilha sonora, nem preciso dizer que é inacreditável.
O filme é de 2004, dirigido por nada menos que Joel Schumacher, com roteiro de Andrew Lloyd Webber. Estrelado por Emmy Rossum e Gerard Butler, tem 7,4 das 10 estrelas possíveis no IMDb, e foi nomeado para 3 Oscars, mas infelizmente não ganhou nenhum. A história original está na Broadway há mais de 25 anos e é a segunda maior atração teatral de todos os tempos – eu vi ao vivo, em New York, muita emoção!

Quero que uma coisa fique bem clara: eu SEMPRE torço pro Fantasma! #teamfantasma

Passado o ponto sem retorno, não há como voltar atrás agora. Nosso ato de paixão finalmente começou. Além de todos os pensamentos de certo ou errado, uma última pergunta: Quanto tempo nós dois devemos esperar antes de nos tornamos um só? Quando o sangue começará a correr? O botão (de flor) adormecido começará a florescer? Quando as chamas vão nos consumir finalmente?

Batman – O Cavaleiro das Trevas

O Cavaleiro das Trevas

Melhor filme do Batman de todos os tempos. A trilogia do Nolan deu uma vida e uma roupagem pro Homem Morcego, que eu acho muito mais próximo do que eu imagino, e tem a profundidade certa pro meu gosto. E dos três filmes, esse é o melhor disparado, por causa da história é claro, mas principalmente por causa do Coringa. Heath Leadger conseguiu personifica-lo de um jeito que faz a gente curtir mais o vilão que o herói sou dessas, ele é sarcástico e engraçado na medida, sem ficar galhofa. E que Duas Caras sensacional! Como eu disse ali em cima, o filme foi dirigido por Christopher Nolan, de 2008, estrelando Christian Bale, Aaron Eckhart e o Heath Ledger, foi nomeado para 8 Oscars e ganhou 2: de Melhor Edição de Som e de Melhor Ator Coadjuvante (para o Heath Ledger) além de ter ganhado um sem-número de outros prêmios incríveis. É o 4º melhor filme do IMDb, com 9 das 10 estrelas possíveis.

Rocky, Um Lutador

Rocky

Eu tenho a coleção, edição especial, dos 6 filmes do Rocky, porque eu gosto apenas ‘ligeiramente’ dessa história, como dá pra ver! E dos seis, o preferido é o primeiro. Além de ser o clássico dos clássicos, de ter o Stallone novinho, de regata e todo gostoso, é uma puta história de superação e esforço misturado com sangue e suor, o que mostra pra gente que se a gente não ralar muito, a gente não chega em lugar nenhum. Naqueles dias que você tá pra baixo, e tá difícil de conseguir enxergar um caminho através do nevoeiro de problemas e complicações, vale super a pena ver de novo nossa, filosofei forte agora.
Rocky é um imigrante pobre, boxeador amador, que faz bico como cobrador de agiotas pra ganhar a vida, apaixonado pela super tímida Adrian. De repente, ele recebe a proposta de sua vida, que é lutar contra o atual campeão da categoria – Apollo Creed. Rola umas armações, umas tretas, muita porrada e sangue. E um final apoteótico. O filme é de 1976, dirigido por John G. Avildsen, estrelando um Sylvester Stallone quase adolescente, nomeado para 10 Oscars e ganhou 3: Melhor Fotografia, Melhor Edição e Melhor Diretor. Tem 8,1 das 10 possíveis do IMDb. E tem a trilha sonora mais motivadora e lembrada da história do cinema.

Não importa o quanto você bate, mas sim o quanto aguenta apanhar e continuar. O quanto pode suportar e seguir em frente. É assim que se ganha.

Edward, Mãos de Tesoura

Edward Maos de Tesoura

Você gosta de um clichê, né, Shepps? Eu AMO!! Hahahaha. E esse, não poderia faltar. Melhor filme do Tim Burton, disparado. Triste de doer os ossos. De 1990, estrelando o incrível Johnny Depp e Wynona Ryder, foi nomeado ao Oscar de Melhor Maquiagem, porém não ganhou. Tem 8 das 10 estrelas possíveis no IMDb. É pesado, é soturno, é sofrido. A fotografia é maravilhosa, o figurino lindíssimo e completamente gótico, e se o Brasil não fosse um país extremamente sub-saariano tropical, eu só usaria esse couro molhado, e o penteado do Edward quando vai no talk show – apenas queria pra já.
Um cientista meio doido faz experiências para criar um homem, mas morre antes de conclui-las, e o pobre Edward fica com tesouras no lugar das mãos. Quando Peg vai fazer uma visita na casa, o encontra e o ‘adota’. Ele fica famoso por sua habilidade em fazer esculturas de árvores e de gelo, além de cortes de cabelo inusitados, porém se apaixona de maneira impossível por Kim, uma humana comum, que tem namorado. E, como a humanidade não suporta nada que seja minimamente diferente dos padrões, a discriminação come solto e ele vira um ‘monstro’ aos olhos da sociedade.
O choro, ele não tem fim! HAHAHA

10 Coisas que Odeio em Você

10 Coisas Que Odeio em Você

Chegou o momento dramalhão teen da sessão da tarde. Mas não podia faltar e eu não tenho a menor vergonha disso ou tenho só um pouco hahaha sai bullying. A história, pra quem não conhece, é de duas irmãs Kat e Bianca que estudam na mesma escola. Bianca é a caçula e só pode namorar quando Kat namorar – só que Kat é apenas selvagem, feminista, anti-social e não quer namorar de jeito nenhum. Cameron quer namorar Bianca, então tem a incrível ideia de pagar um misterioso bad boy da escola, Patrick, pra conquistar Kat. Oiiiiiiinnn… HAuhauha Que delícia. Filme descompromissado, leve, alegre, com final feliz, com gente linda e o Heath Leadger muito novinho. Pode parecer vazio, mas o roteiro é baseado no A Megera Domada, do Shakespeare. Estrelando Julia Styles, Joseph Gordon-Levitt e o imortal Heath Ledger, o filme é de 1999 e tem 7,2 estrelas das 10 possíveis no IMDb.

I hate the way you talk to me,
and the way you cut your hair
I hate the way you drive my car,
I hate it when you stare.
I hate your big dumb combat boats,
and the way you read my mind.
I hate you so much, it makes me sick,
And even makes me rhime.
i hate it
I hate the way you are always right.
I hate it when you lie.
I hate it when you make me laugh,
even worse when you make me cry.
I hate it when you are not around,
and the fact that you didn’t call…
But mostly I hate the way I don’t hate you,
Not even close,
Not even a little bit,
Not even at all.

Ufa! Depois dessa maratona, tô até cansada! Hahaha
Tem MUITOS filmes que eu assisti uma vez só, mas que acho valem a pena ver de novo, porém priorizei aqui os filmes que além de valerem super a pena, tem trono cativo nas telas da minha vida. Nenhum desses acima eu assisti menos de 10 vezes, com toda a certeza.
Faltou algum?
Quais são seus filmes de estimação?
Beijo <3

comments