GO GO BÉLGICA!

Hercule Poirot – o belga mais ilustre, que mora em nossos corações.

Não sei vocês, mas eu estou acompanhando apenas TODOS os jogos da Copa (amo futebol, de coração), e o jogo de Rússia x Bélgica me inspirou a escrever sobre o motivo de eu torcer tão fervorosamente pra Bélgica, muito embora esta apresente um futebol cretino hahahaha tá ofensivo, apaga.

Hercule Poirot

(Ercuíle Poarrô – acho que é assim que fala) Sim, o detetive baixinho, bigodudo, com cabeça de ovo. O personagem mais ilustre dos romances de Agatha Christie.

Agatha Christie

A primeira aparição do rabugento e ranzinza detetive foi em 1921, em “O Misterioso Caso de Styles” e a partir daí, apareceu em outros 39 romances policiais da autora. Sua última aparição foi em “Cai o Pano“, escrito em 1940, porém lançado somente em 1976 porque Agatha, com medo de que explorassem inadvertidamente seu personagem, escreve um livro em que ele morre e ordena que o livro seja lançado somente depois de sua própria morte (aliás, eu nunca li esse livro, porque me recuso a ver Poirot morrer).
A Dama do Crime escrevia com maestria, com uns plot twists sensacionais, reviravoltas, e o que é mais característico de Poirot,  ele podia resolver os crimes usando apenas suas ‘células cinzentas’, sem precisar se envolver em caçadas ou remexer nos cadáveres ou nas ações, o que não deixa em nada a desejar.

A história mais famosa é “O Assassinato no Expresso do Oriente”, em que Hercule Poirot está viajando no famoso Expresso do Oriente, quando uma nevasca na Iugoslávia para o trem. Na manhã seguinte, um de seus passageiros é encontrado morto em sua cabine trancada, com 12 facadas. O detetive pitoresco tem que desvendar o misterioso crime, antes que o trem se coloque em movimento e a polícia possa se encarregar do ocorrido.
Foi filme em 1974, estrelando Ingrid Bergman e Albert Finney e dirigido por Sidney Lumet, ganhando o Oscar de melhor atriz coadjuvante pra Ingrid Bergman e concorrendo em outras 5 categorias.
Foi adaptado pra filme pra TV em 2001, estrelando nada menos que Alfred Molina como Poirot e Meredith Baxter, e dirigido por Carl Schenkel.

Hercule Poirot

Meu ponto aqui nem é a biografia da autora ou do personagem em si, até porque tem a wikipedia que faz esse trabalho por mim. Meu ponto é como os romances policiais dessa autora e a inteligência desse homenzinho marcam a vida de um leitor. Nem me lembro qual foi o primeiro livro dela que li, porém posso afirmar com clareza: depois dessas histórias, eu nunca mais fui a mesma. Me tornei uma leitora voraz e apaixonada, e pela pequena pesquisa que fiz para escrever este post, o mesmo ocorreu com todas as outras pessoas.
É apenas impossível deixar o livro por um tempo, pequeno que seja. A gente quer devorar a história, quer chegar logo no desfecho ao mesmo tempo que não quer que a história acabe.
Acho que uma experiência incompleta de conhecimento é nunca ter lido nenhum livro dela, ou se envolvido com a peculiaridade do detetive. Recomendo muito mais que fortemente.
Dentre os mais emocionantes, que não podem faltar em nenhum skoob, em nenhuma coleção:
O Assassinato no Expresso do Oriente
A Casa do Penhasco
Os Quatro Grandes
Os Trabalhos de Hércules
Os Cinco Porquinhos
Poirot Perde uma Cliente

Se você já é fã, tem um quiz super bacana sobre ele aqui.
Ano passado saiu uma notícia em que Sophie Hannah, com a autorização da família de Agatha Christie, lançaria em setembro desse ano, uma continuação das histórias de Poirot, investigando novos crimes!!
MAL POSSO ESPERAR!!

E vocês, conhecem o caricato detetive belga?
Qual seu livro preferido?

Beijo <3

comments